Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

FBI temia que o campeão de xadrez fosse espião soviético

O FBI segui por décadas a mãe do campeão mundial de xadrez Bobby Fischer por suspeitar de que ela fosse uma espiã comunista e temia que seu filho também fosse recrutado pelos soviéticos.Foi o que revelou o jornal Philadelphia Inquirer, citando documentos do FBI para assegurar que as investigações da polícia federal americana duraram cerca de 30 anos e começaram em 1942 - quando foram encontradas cartas de Regina Fischer, a mãe de Bobby, que deixavam entrever posições de esquerda. O FBI chegou a acreditar em alguns momentos que a KGB buscava alinhar Fischer com Moscou, mas finalmente se verificou que a mãe do enxadrista não era uma espiã. Fischer tornou-se quase um "herói" da Guerra Fria quando, em 1972, venceu dois formidáveis enxadristas russos, tornando-se o primeiro americano campeão mundial - após o que, no entanto, abandonou o xadrez em 1975 e sua vida se envolveu em mistério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.