FDA alivia restrições de droga contra ebola

A decisão pode abrir caminho para que o medicamento seja usado em pessoas infectadas com o vírus

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2014 | 19h25

Autoridades da agência reguladora do setor de saúde nos Estados Unidos aliviaram as restrições contra uma droga experimental para o ebola. A decisão pode abrir caminho para que o medicamento seja usado em pessoas infectadas com o vírus.

A fabricante de remédios canadense Tekmira Pharmaceuticals informou nesta quinta-feira que a Agência de Administração de Drogas e Alimentos (FDA, na sigla em inglês) modificou a norma que retinha a distribuição do medicamento. A empresa tem um contrato de US$ 140 milhões com o governo dos Estados Unidos para desenvolver a TKM-Ebola, que ataca o material genético do vírus. No mês passado, no entanto, a FDA suspendeu os testes do TKM devido a precauções de segurança.

A companhia afirmou que a agência "confirmou verbalmente" mudanças na suspensão, o que pode permitir a distribuição do medicamento para pacientes. Atualmente, não existem drogas licenciadas ou vacinas contra a doença. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAebola

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.