FDA, dos EUA, diz estar pronto a trabalhar com farmacêuticas contra Ebola

O pior surto de Ebola da história está colocando pressão sobre os reguladores dos Estados Unidos para acelerar o desenvolvimento de tratamentos para o vírus mortal, que já matou mais de 700 pessoas desde fevereiro.

REUTERS

02 de agosto de 2014 | 15h59

A agência norte-americana reguladora de alimentos e medicamentos (FDA) afirmou em um comunicado que "está pronta" para trabalhar com empresas e pesquisadores que trabalham com pacientes, na busca de um tratamento.

Um alto funcionário dentro FDA disse à Reuters que a agência iria considerar propostas para fornecer tratamentos de acordo com as novas diretrizes especiais de emergência de drogas, se os benefícios do tratamento superarem os potenciais riscos de segurança.

"Nós levamos isso muito, muito a sério", disse a fonte.

A declaração da FDA segue apelos de médicos em meio à falta de progressos em tratamentos para o Ebola, um mercado considerado muito pequeno para ganhar muita atenção pelas grandes empresas farmacêuticas.

(Por Julie Steenhuysen)

Tudo o que sabemos sobre:
AFRICAEBOLAFDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.