FDA rejeita pílula do dia seguinte sem receita

O governo americano se recusou a autorizar a venda de pílulas do dia seguinte sem receita médica, por conta do temor de que meninas adolescentes usem o método, mas a regulamentação deixa aberta uma brecha para mudança futura. A organização do governo dos EUA responsável pelo controle da venda de medicamentos, a Food and Drug Administration (FDA) encontrava-se sob forte pressão política na questão. Conservadores argumentam que autorizar a venda sem receita encorajaria o sexo sem segurança. Defensores da medida dizem que o acesso fácil às pílulas ajudaria a evitar milhares de abortos. Os assessores científicos da própria FDA eram a favor da liberação.Mas, em uma carta aos Laboratórios Barr, a FDA argumenta que não há prova científica de que as pílulas não façam mal a meninas menores de 16 anos desprovidas de acompanhamento médico - portanto, a liberação está suspensa até que a prova surja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.