Todd Heisler/The New York Times
Todd Heisler/The New York Times

'Feche o site', diz criador de domínio que virou 'megafone' de extremistas

Plataforma 8chan, criada por Fredrick Brennan, permitiu postagem de atirador de El Paso, além das de outros dois atiradores em 2019, onde anteciparam o que iriam fazer e queriam que mensagens preconceituosas ganhassem dimensão

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2019 | 05h00

MANILA - Fredrick Brennan estava em sua casa nas Filipinas quando chegou a notícia do ataque a tiros em El Paso, Texas. Sua resposta foi imediata e instintiva. “Sempre que ouço falar de um ataque a tiro, digo: ‘Tudo bem, temos de pesquisar se há uma conexão no 8chan’”, disse ele sobre o site de mensagens online que ele criou em 2013. Não demorou muito para encontrar um.

Momentos antes do ataque de sábado, uma mensagem de quatro páginas cujo autor se identificou como o atirador apareceu no 8chan. A pessoa que postou a mensagem incentivou seus “irmãos” no site a espalhar o conteúdo por toda parte. Nos últimos meses, o 8chan tornou-se o recurso preferido de extremistas violentos. Ao menos três ataques a tiros neste ano – incluindo os assassinatos em mesquitas em Christchurch, Nova Zelândia, e o na sinagoga em Poway, Califórnia – foram anunciados com antecedência no site, muitas vezes acompanhados por textos racistas que parecem preparados para tornarem-se virais na internet.

Brennan começou o quadro de mensagens online como uma utopia de livre expressão. Mas agora, o 8chan é conhecido como outra coisa: um megafone para atiradores em massa e uma plataforma de recrutamento para nacionalistas brancos violentos. E se tornou um ponto focal para os que buscam interromper os caminhos do extremismo online. No domingo, os críticos caracterizaram o site como um terreno fértil para a violência, e pressionaram os provedores de serviços do site a derrubá-lo.

Um desses provedores, o Cloudflare, que protege sites de ataques cibernéticos, disse que deixaria de trabalhar com o 8chan no domingo à noite. Brennan, que sofre de um problema conhecido como osteogénese imperfeita e usa uma cadeira de rodas, tentou se distanciar do 8chan e de seus atuais proprietários.

E Brennan, que parou de trabalhar com o atual proprietário do site em 2018, pediu que ele fosse colocado off-line antes que isso levasse a mais violência. “Feche o site”, disse Brennan em uma entrevista. “Não está trazendo nada de bom ao mundo. É totalmente negativo para todos, exceto os usuários que estão lá. E sabe de uma coisa? É negativo para eles também. Eles simplesmente não percebem isso”.

Brennan, que alegou ter tido a ideia do 8chan numa “viagem” com cogumelos psicodélicos, planejou criar o que ele chamou de uma alternativa de liberdade de expressão ao 4chan, um fórum de mensagens online mais conhecido. Ele estava chateado porque o 4chan havia se tornado restritivo demais, e imaginou um site onde qualquer discurso legal seria bem-vindo, não importando quão tóxico fosse.

O site permaneceu pouco conhecido até 2014, quando alguns defensores do GamerGate – uma coleção reacionária informal de jogadores de vídeo antifeministas – foram em bando para o 8chan depois de serem expulsos do 4chan. Desde o GamerGate, o 8chan tornou-se um site genérico para comunidades baseadas na internet cujo comportamento as leva a serem despejadas de sites mais comuns. Abriga um dos maiores grupos de partidários de QAnon, que afirmam que há uma burocracia internacional conspirando contra o governo Trump. E tem sido uma casa online para “incels”, homens que lamentam ser “involuntariamente celibatários” e outros movimentos marginais.

“O 8chan é quase como um bulletin board onde os piores transgressores compartilham suas ideias terríveis”, disse Jonathan Greenblatt, diretor executivo da Liga Anti Difamação. “Tornou-se uma caixa de ressonância onde as pessoas compartilham ideias e onde esses tipos de ideologias são amplificadas e expandidas e, em última análise, as pessoas tornam-se radicalizadas como resultado.”

O 8chan foi expulso das Filipinas por Jim Watkins, um veterano do Exército dos EUA, desde 2015, quando Brennan desistiu do controle do site.

O site permanece quase completamente sem moderação, e seu compromisso de manter até mesmo o discurso mais violento o tornou um local para os extremistas testarem ideias, compartilharem literatura violenta e aplaudirem os autores de assassinatos em massa. Os usuários do 8chan frequentemente idolatram os atiradores em massa usando o vernáculo da internet, referindo-se à sua contagem de vítimas fatais corpo como “alto índice” e criando memes elogiando os assassinos.

Em uma entrevista em março ao The Wall Street Journal, Brennan mostrou arrependimento por seu papel na criação do site e alertou que a cultura violenta que havia criado raízes nas placas do 8chan poderia levar a mais ataques a tiros. “Outro ataque 8chan?”, ele tuitou no sábado. “Eu nunca terei condições de seguir em frente com a minha vida?”

Watkins, que comanda o 8chan juntamente com seu filho, Ronald, manteve-se insolente diante das críticas e resistiu aos pedidos para moderar ou encerrar o site. No domingo, um banner no topo da página principal do 8chan dizia: “Bem-vindo ao 8chan, nos cantos mais obscuros da internet”.

“Eu tentei entender muitas vezes por que ele continua, mas simplesmente não entendo”, disse Brennan. “Depois de Christchurch, depois do ataque na Árvore da Vida, e agora depois deste ataque, eles acham que tudo isso é muito engraçado.”

Watkins não respondeu a vários pedidos de comentários. Durante o final de semana, os críticos do 8chan tentaram uma abordagem diferente para fechar o site, pressionando os provedores de serviços do site, incluindo seu host, para remover Watkins.

Um desses provedores, a Cloudflare, inicialmente indicou no domingo que não cortaria o acesso do 8chan à sua rede. Mas, no final do dia, a Cloudflare disse que proibiria o site, afinal, privando Watkins de uma ferramenta importante para manter o site online.

Matthew Prince, diretor executivo da Cloudflare, disse que a decisão de encerrar as proteções do 8chan foi tomada depois de determinar que o site permitia a proliferação de um ambiente de extremismo violento e  o 8chan ignorava reclamações sobre conteúdo violento de uma forma que plataformas maiores, como o Facebook e Twitter, não o fazem.

“Vimos um padrão em que essa comunidade sem lei demonstrou sua capacidade de causar danos males verdadeiros e danos reais”, disse Prince sobre o 8chan. “Se vemos algo ruim no mundo e podemos ajudar a impedir o problema, temos alguma obrigação de fazer isso.” / NYT, TRADUÇÃO DE CLAUDIA BOZZO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.