Fed revê para cima previsão de crescimento dos EUA

Inflação e desempregos também devem ser mais baixos do que o previsto.

Alessandra Corrêa, BBC

19 Maio 2010 | 19h30

O Banco Central americano (Federal Reserve, ou Fed) revisou nesta quarta-feira para cima sua previsão de crescimento para os Estados Unidos e disse a economia do país está se recuperando em um ritmo moderado.

A ata da última reunião do Comitê de Mercado Aberto do Fed, realizada em 27 e 28 de abril mas divulgada nesta quarta-feira, traz previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) entre 3,2% e 3,7% neste ano.

A previsão anterior, de janeiro, era de crescimento entre 2,8% e 3,5%. Para 2011 e 2012 as projeções se mantêm inalteradas.

A expectativa do Fed é de que a economia americana avance entre 3,4% e 4,5% no ano que vem e entre 3,5% e 4,5% em 2012.

Desemprego

O Comitê de Mercado Aberto do Fed se reúne oito vezes por ano e, em quatro desses encontros, revisa suas projeções para a economia americana.

O documento divulgado nesta quarta-feira também traz projeção de uma leve queda na taxa de desemprego, atualmente em 9,9%.

A previsão é de que a taxa de desemprego feche este ano entre 9,1% e 9,5%. Em janeiro, a projeção era de que ficasse entre 9,5% e 9,7%.

Para 2011, a previsão é de desemprego entre 8,1% e 8,5%. No ano seguinte, o Fed prevê uma taxa entre 6,6% e 7,5%.

O mercado de trabalho americano vem apresentando uma leve recuperação nos últimos meses, mas ainda assim os altos níveis de desemprego são considerados um dos principais desafios da economia do país.

Segundo a ata do Fed, a expectativa é de que "as condições do mercado de trabalho melhorem lentamente nos próximos anos".

Juros e inflação

O documento revela que os juros deverão permanecer em seu patamar atual entre 0% e 0,25%.

A projeção de inflação para este ano foi revisada para entre 0,9% e 1,2%, também abaixo da previsão de janeiro, que era de entre 1,1% e 1,7%.

A ata indica ainda que o Fed vai adiar a venda dos títulos hipotecários adquiridos durante o auge da crise financeira até que a economia dos Estados Unidos esteja esteja recuperada e a taxa de juros possa ser elevada.

Segundo o documento, apesar de algumas discordâncias, a maioria dos membros do comitê optou por realizar uma venda gradual, que começaria quando os juros fossem elevados e se estenderia ao longo de cinco anos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.