FHC sugere a Chávez anistiar os golpistas

Na conversa que teve no domingo com o presidente reempossado da Venezuela, Hugo Chávez, o presidente Fernando Henrique Cardoso sugeriu anistiar os golpistas que tentaram derrubar Chávez da Presidência. FHC lembrou ao presidente venezuelano o gesto de conciliação feito no Brasil em 1959 por Juscelino Kubitscheck. O presidente referia-se à revolta de oficiais da Força Aérea Brasileira em Aragarças, ocorrida em dezembro de 1959, e em Jacareacanga, em 1956. Na conversa, segundo o porta-voz do Palácio do Planalto, o presidente Hugo Chávez informou a Fernando Henrique sobre a intenção de estabelecer o que chamou de "mesas de diálogo" e que o ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter já anunciou apoio a essa iniciativa e deverá visitar a Venezuela em breve.Segundo o porta-voz, o presidente brasileiro entende que a principal responsabilidade de Chávez neste momento é a de encontrar mecanismos que permitam restabelecer a comunicação entre os diversos setores da sociedade venezuelana e ao mesmo tempo, adotar as decisões que levem ao convívio social harmônico.Ele disse que Fernando Henrique reitera que o Brasil é contrário a qualquer processo de quebra da ordem institucional e que o Itamaraty já se pronunciou sobre o caso por duas vezes, em notas oficiais. A posição brasileira, segundo o porta-voz, não implica julgamento de valor sobre pessoas ou condições específicas, e sim traduz a defesa de um princípio.O porta-voz informou ainda que Fernando Henrique conversou sobre a situação venezuelana com outros líderes do hemisfério, como os presidentes da Bolívia, Jorge Quiroga, do Chile, Ricardo Lagos, e da Costa Rica, Miguel Ángel Rodrígues - este, na qualidade de presidente do Grupo do Rio.Grandes Acontecimentos InternacionaisESPECIAL VENEZUELA

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.