Fica preso chefe do cartel de Tijuana

Um juiz ordenou, nesta sexta-feira, a prisão de Benjamín Arellano Félix, suposto chefe de uma das organizações de tráfico mais poderosas do México, até seu julgamento.As acusações contra Arrelano Félix incluem narcotráfico e suborno, segundo nota à imprensa da Secretaria de Justiça. As autoridades policiais dizem que Arellano Félix, detido no dia 9 de março último, dirigia uma organização baseada na cidade de Tijuana, acusada de contrabandear toneladas de cocaína e maconha para os Estados Unidos.Benjamín é acusado de ser o cérebro da organização, e seu irmão Ramón, de executar os inimigos do grupo. As autoridades dizem que Ramón morreu em um tiroteio com a polícia em 10 de fevereiro último.As acusações derivam em parte de uma suposta oferta feita pelo então general Alfredo Navarro Lara a um agente da Secretaria de Justiça em nome do cartel. Navarro, detido em 1967, havia proposto que, em troca de um suborno de US$ 1 milhão de dólares por mês, a polícia permitisse que os irmãos Arellano Félix continuassem suas atividades sem interferir. Benjamín Arellano Félix também é acusado de porte ilegal de armas. Um juiz vai decidir se ele deve permanecer detido até o julgamento por esta acusação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.