Fidel acusa Caetano de ''curvar-se ao império''

Líder cubano critica músico brasileiro por ?pedir perdão? aos Estados Unidos pela denúncia que faz a Washington na música ?Guantánamo?

AP e AFP, Havana, O Estadao de S.Paulo

20 de junho de 2008 | 00h00

O líder cubano Fidel Castro acusou o cantor e compositor brasileiro Caetano Veloso de ter pedido "perdão" ao governo dos Estados Unidos por sua música Base de Guantánamo. Fidel afirmou que as declarações do músico ao jornal Folha de S. Paulo, no dia 26, foram "uma prova da confusão e do engano semeados pelo imperialismo".As acusações do líder cubano foram publicadas no prefácio do livro Fidel, Bolívia e algo mais, lançado esta semana em Cuba, sobre uma viagem que Fidel fez ao país sul-americano em 1993.No texto, o líder da Revolução Cubana faz referência às declarações de Caetano nas quais ele disse estar "100% mais" do lado dos Estados Unidos do que de Cuba em relação aos direitos humanos - apesar da situação de violência praticada na base naval americana em Guantánamo. "O fato de os americanos desrespeitarem os direitos humanos em solo cubano é por demais forte simbolicamente para eu não me abalar", diz a letra da música de Caetano. Na entrevista, o compositor afirmou que a violência praticada na base de Guantánamo provoca nele sentimento de "mal-estar" porque os americanos são "defensores das sociedades abertas".Caetano teria afirmado - segundo Fidel - que, se fosse "um esquerdista pró-Cuba e anti-Estados Unidos, não sentiria nenhuma decepção pelo que ocorre em Guantánamo. "Em duas palavras: o músico brasileiro pediu perdão ao império por criticar as atrocidades cometidas naquela base naval em território ocupado de Cuba", afirmou o líder cubano - afastado do poder desde agosto de 2006, após ser submetido a uma cirurgia de intestino.Na terça-feira, cinco meses depois da última aparição de Fidel, a televisão cubana divulgou um vídeo do ex-presidente durante um encontro com o presidente venezuelano, Hugo Chávez. ROMPENDO COM A ILHAJosé Saramago - Escritor português e Prêmio Nobel de Literatura de 1998. Rompeu com Cuba em maio de 2003 por causa da execução de três dissidentes cubanos Dario Fo - Escritor e dramaturgo italiano. Nobel de Literatura de 1997. Rompeu em maio de 2003 Pedro Almodóvar - Diretor e produtor de filmes espanhol. Rompeu em maio de 2003 Internacional Socialista - É uma organização global de partidos social-democratas, socialistas e trabalhistas. Rompeu em 2003 Refundação Comunista da Itália - Fundada em 1991, por membros do extinto Partido Comunista Italiano. Rompeu em 2003. Carlos Fuentes - Escritor mexicano. Rompeu em 1971, após a prisão do poeta Herberto Padilla

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.