Fidel acusa EUA, Otan e Israel de semear o medo nuclear

Durante o programa de televisão cubano "Mesa Redonda", no sábado, o presidente Fidel Castro acusou os Estados Unidos, a Otan e Israel de formarem uma aliança para "semear o medo" em relação ao uso de armas nucleares e expressou sua preocupação com as ameaças feitas ao Irã, por causa de seu programa nuclear.O presidente cubano disse também que ficou assustado com a declaração do governo da França de que poderia usar armas nucleares contra grupos terroristas. "Todo mundo está falando de armas nucleares por qualquer motivo", acrescentou.No último dia 19, o presidente da França, Jacques Chirac, disse que seu país poderia responder com armas nucleares a países que usarem o terrorismo ou armas de destruição em massa contra a França.O presidente cubano acusou os EUA de querer obrigar o Irã a consumir suas reservas de hidrocarbonetos. "O Irã não disse que quer fabricar armas nucleares. Pelo contrário, assinou todos os acordos. Mas presumem que se (Teerã) dominar a tecnologia vai fabricar (armas nucleares) e assim, preventivamente, querem proibir que produza combustível nuclear para exigir que queime todo o gás e todo o petróleo", afirmou."O que se pode esperar da Europa, da Inglaterra, (que) foi aliada inseparável dos EUA; de Israel, aliado inseparável que possui cerca de 300 armas nucleares?", indagou Fidel. "Recentemente, Condoleezza Rice (secretária americana de Estado) disse que restava pouco tempo ao Irã. O que ela quis dizer com resta pouco tempo ao Irã? É a pergunta que precisa ser feita. Não ficarmos calados", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.