Fidel afirma que superou momento "mais crítico" em nova mensagem

O líder cubano, Fidel Castro, afirmou quesuperou o momento "mais crítico" de sua doença e que se recupera em"ritmo satisfatório", em uma nova mensagem dirigida ao povo de Cubae divulgada nesta terça-feira pelo jornal oficial "Granma". Na mensagem, Fidel reconhece que perdeu mais de 18 quilos e quefaz pouco tempo que os médicos retiraram o último ponto da sutura,após 34 dias de recuperação por causa de uma cirurgia intestinal. Em 31 de julho, Fidel, de 80 anos, delegou provisoriamente opoder a seu irmão Raúl. A mensagem publicada nesta terça-feira, apenas três dias depois da difusão deum vídeo com imagens da terceira visita do presidente venezuelano,Hugo Chávez, a Fidel desde o anúncio de sua doença, é acompanhada devárias fotografias do líder cubano sentado em uma cadeira debalanço, lendo e tomando notas. "Nem um só dia, inclusive nos mais difíceis desde 26 de julho,deixei de fazer um esforço para sanar as conseqüências políticasadversas de tão inesperado problema de saúde. O resultado é que,para minha tranqüilidade, avancei em várias questões importantes",afirma Fidel no texto. "Não deixei, no entanto, de cumprir estritamente meus deverescomo paciente disciplinado", acrescenta Fidel na mensagem publicadano órgão oficial do Partido Comunista de Cuba. Fidel afirma que nos próximos dias receberá "visitantesdistintos", mas que isso não significa que os encontros serãorelatados publicamente, "embora sempre vá haver notícias". "Todos devemos compreender que não é conveniente oferecerinformações sistematicamente, nem fornecer imagens sobre meu estadode saúde", afirma. "Todos devemos compreender igualmente, com realismo, que o tempode uma completa recuperação, querendo ou não, será prolongado",acrescenta. "Neste momento não tenho pressa alguma, e ninguém devese apressar. O país anda bem e avança." Fidel explica que, quando adoece, estava revisando o livro "CemHoras com Fidel", assinado pelo jornalista Ignacio Ramonet, e quecontinua com a revisão para a publicação em breve do texto em Cuba.Mensagem de Fidel ao povo de Cuba Queridos compatriotas: Nos últimos dias, a publicação de algumas imagens de filmes e fotos agradaram muito o nosso povo. Alguns opinaram, com razão, que me viam um pouco magro, sendo esse o único elemento desfavorável. Me alegro muito de que o tenham percebido. Isso me permite enviá-los várias fotos mais recentes e, desta vez, informar-lhes que em poucos dias perdi 41 libras. Afirmo que faz muito pouco que me tiraram o último ponto cirúrgico, depois de 34 dias de convalescência.Em nem um só dia, incluindo os mais difíceis desde 26 de julho, deixei de fazer esforços para sanar as conseqüências políticas adversas de tão inesperado problema de saúde. O resultado é que, para minha tranqüilidade, avancei em várias questões importantes. Posso comunicar-lhes que o livro Cem Horas com Fidel, de Ramonet, no qual revisava cada resposta minha durante os dias em que me adoentei, está praticamente concluído e logo será publicado, assim como prometi. Não por isso deixei de cumprir estritamente meus deveres como paciente disciplinado. Posso afirmar que o momento mais crítico ficou para trás. Hoje me recupero em ritmo satisfatório. Nos próximos dias receberei diferentes visitas; isso não significa que cada atividade estará imediatamente acompanhada de filmagens ou fotos, ainda que as notícias de cada uma delas serão oferecidas sempre.Todos devemos compreender que não é conveniente oferecer informação de forma sistemática, nem mostrar imagens sobre meu processo de saúde. Todos devemos compreender igualmente, com realismo, que o tempo de uma recuperação, querendo ou não, será prolongado. Neste momento não tenho pressa alguma, e ninguém deve se apressar. O país caminha bem e avança.Hoje se inaugurou o Curso Escolar, com mais estudantes e perspectivas que em qualquer outro momento para nosso país. Que momento maravilhoso! Só me falta um detalhe: pedir a cada compatriota honesto, que juntos constituem a imensa maioria do povo, não culpar ninguém pela discrição que, em nome da segurança da nossa Infinitos agradecimentos!Fidel Castro Ruz 4 de setembro de 2006(Carta na íntegra)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.