Fidel Castro divulga conversa privada com presidente mexicano

O presidente de Cuba, Fidel Castro, divulgou nesta segunda-feira uma conversa telefônica gravada entre ele e o presidente mexicano, Vicente Fox, na qual Fox pede para que Fidel deixe a Conferência sobre o Financiamento ao Desenvolvimento, em Monterrey, antes da chegada do presidente americano George W. Bush. Na ocasião, o presidente mexicano negou ter pedido a Fidel que adiantasse sua volta a Cuba. Fora isso, na gravação, Fox ainda pede para que Castro "não agrida os Estados Unidos e o presidente George Bush" durante a conferência. No México, "todos mentiram" quando negaram a denúncia cubana de que o presidente Fidel Castro saiu de Monterrey rapidamente a pedido das autoridades mexicanas, que supostamente teriam sido pressionados pelos Estados Unidos, disse Castro em uma entrevista à imprensa. Na ocasião, Fidel Castro deixou subitamente a cúpula e foi substituído pelo presidente da Assembléia Nacional Cubana, Ricardo Alarcón. Em uma posição inédita em 43 anos de revolução socialista em Cuba, Castro disse que "renuncia imediatamente a todos os cargos e responsabilidades como dirigente do país", se alguém provar que a conversa gravada, apresentada como prova das mentiras do governo mexicano, é falsa.No diálogo gravado entre os presidentes, no dia 19 de Março, Fox pede a Fidel Castro que limite suas participação em Monterrey até o dia 21 e que regresse para Havana na mesma noite para evitar "complicações". Através do porta-voz da presidência, Rafael Elizondo, o México não desmentiu o conteúdo e a veracidade da gravação, mas deixou claro que o "México considera inaceitável que as autoridades cubanas tenham violado a privacidade de uma conversa entre os presidentes dos dois países, rompendo assim um acordo de confiança e boa fé". Elizondo adiantou que "o governo mexicano, independentemente deste episódio, continuará com relações diplomáticas com Cuba". Já Fidel Castro comentou que "por dizer essas verdades, as relações diplomáticas podem ser rompidas, mas os vínculos fraternais e históricos entre os povos do México e Cuba serão eternos".Fidel Castro disse que decidiu divulgar a gravação depois que, na última sexta-feira, o México foi favorável a uma resolução da Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas que pede uma inspeção da ONU na ilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.