Fidel Castro diz que se 'recuperou totalmente' de problemas de saúde

Ex-líder participa de eventos com jovens e pede que novas gerações cumpram 'dever sagrado' de promover valores revolucionários.

BBC Brasil, BBC

31 de julho de 2010 | 08h24

O ex-presidente de Cuba Fidel Castro afirmou que se recuperou "totalmente" dos problemas de saúde que o levaram a se licenciar do cargo e passar o bastão para o seu irmão, Raul Castro, em 2006.

Em um encontro com jovens cubanos, transmitido pela TV oficial e narrado na edição deste sábado do "Granma", o jornal oficial do Partido Comunista cubano, Fidel disse que "venceu as batalhas" contra a doença e pediu que a nova geração cumpra o "dever sagrado" de levar a mensagem da Revolução Cubana adiante.

De acordo com a imprensa oficial cubana, o encontro reuniu cerca de cem jovens, entre representantes de entidades comunistas, artistas, estudantes e intelectuais e, "em um lugar especial", o hoje adolescente Elián González, cuja custódia gerou uma batalha entre os familiares nos EUA e o governo cubano dez anos atrás, tornando-se um símbolo das tensões entre EUA-Cuba.

Fidel se referiu ao seu estado de saúde antes de ler uma mensagem para os jovens. Disse que "não faz muito tempo, realmente, venci as últimas batalhas para estar como estou hoje".

Em seguida, pediu que os jovens lutem contra "o mais poderoso império que a humanidade conheceu", os Estados Unidos e seu sistema econômico capitalista.

"O sistema econômico que prevaleceu é incompatível com os interesses da humanidade", disse. "As novas gerações de jovens cubanos devem fazer chegar sua mensagem, que nasceu da experiência vivida por sua pátria, cumprirão um dever sagrado imposto pela época que lhes coube viver."

Guerra na Coreia ou Irã

Durante o encontro, Fidel também alertou para um possível conflito nuclear envolvendo a Coreia do Norte ou o Irã - temas de que tem tratado em sua coluna "Reflexões do Companheiro Fidel", publicadas semanalmente no órgão de imprensa do PC cubano.

"Preferimos aferrar-nos à esperança de que as ponderações empregadas na Reflexão da próxima terça-feira, 3 de agosto, se ajustem à realidade", afirmou Fidel.

"Do contrário, o perigo de que se inicie uma nova guerra, que logo se tornaria nuclear, seria a única alternativa."

Fidel fará 84 anos no próximo dia 13 de agosto. A época coincidirá com o período quando ele pretende lançar a primeira parte de sua biografia. O livro se chamará "La victoria estratégica (A Vitória Estratégica)" e se concentrará nos eventos imediatamente anteriores à Revolução Cubana.

O líder afirmou que continuará trabalhando no segundo volume de suas memórias.

Em 2006, o então presidente de Cuba se retirou da vida pública para tratar de problemas de saúde, transferindo o poder para o irmão, Raul Castro. Ele demorou até aparecer novamente em público e, quando o fez, apareceu em vestimentas que davam a impressão de um paciente convalescente.

No ultimo dia 25 de julho, Fidel vestiu pela primeira vez desde então a camisa verde-musgo pela qual ficou conhecido.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.