Fidel Castro inaugura feira agropecuária dos EUA em Cuba

O presidente cubano Fidel Castro inaugurou nesta quinta-feira a primeira feira de produtos norte-americanos em Cuba propondo ao representante de Washington na ilha uma aposta de US$ 100 milhões sobre a questão de Cuba pagar os alimentos importados dos EUA. Fidel se referiu às declarações do novo diretor do Escritório de Interesses dos EUA na ilha, James Cason, que acusou Cuba de ser uma economia "jurássica" e duvidou da disposição cubana em pagar pontualmente os fornecedores norte-americanos."Se quiser, eu o desafio e vamos fazer uma aposta, de US$ 100 milhões, já que por menos não se pode comprar nada. Primeiro diga-lhe que eu o saúdo e proponho uma aposta, a de que se não pagarmos (os produtores norte-americanos), nós o premiamos (a Cason) com US$ 100 milhões", disse Fidel.Segundo a lei que tornou possíveis as vendas efetuadas este ano pelos EUA, as empresas norte-americanas só podem vender a Cuba sob a condição de receberem em dinheiro e não aceitarem financiamento. "O homem (Cason) deve ser um especialista em questões de pré-história; sua linguagem também é pré-histórica, é uma linguagem jurássica. Há mais de 40 anos estamos ouvindo as mesmas coisas (...) suportamos todas as provas", disse o mandatário cubano.Enfeitada com bandeiras norte-americanas e cubanas, a feira abriu as portas com a presença de 288 empresas dos EUA no Centro de Pabexpo, em Havana. Fidel compareceu ao local vestido de azul. Também estiveram presentes à inauguração o governador de Minnesota, Jesse Ventura, e representantes e homens de negócios dos estados de Dakota do Norte, Virginia, Kentucky e Georgia. "Nunca sonhei, em toda a minha vida, estar aqui, neste grande país que é Cuba, e nunca pensei que veria as duas bandeiras hasteadas uma ao lado da outra", disse o governador Ventura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.