Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Fidel Castro recebe visita de Gabriel García Márquez

O presidente de Cuba, Fidel Castro, conversou por telefone com seus homólogos venezuelano e haitiano, afirmou que estava bem e contou que foi visitado pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez, informou a imprensa estatal cubana nesta quarta-feira.Numa conversa por telefone com os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Haiti, Rene Préval, o octogenário líder cubano comentou: "Esta manhã eu recebi a visita de Gabo. Ele apareceu por aqui".García Márquez, que completou 80 anos em 6 de março, é amigo de longa data de Fidel Castro. Não ficou claro quando o escritor, premiado com o Prêmio Nobel de Literatura, chegou a Cuba.Uma transcrição da conversa de Castro com Chávez e Préval foi publicada hoje no Granma, jornal oficial do Partido Comunista de Cuba.Defesa da revoluçãoOs jovens cubanos defenderão a revolução de Fidel Castro sem nenhuma concessão aos Estados Unidos, disse na terça-feira o líder da Federação Estudantil Universitária da ilha, Carlos Lage Codorníu. Lage Codorníu, filho do vice-presidente cubano Carlos Lage, falou diante do presidente interino, Raúl Castro, durante uma cerimônia para recordar o 50o aniversário de um ataque fracassado ao palácio do ditador Fulgencio Batista por parte de um grupo de universitários. "Queremos outra coisa que não seja a revolução? .... Aquela pela qual milhares de cubanos lutaram e derramaram seu sangue? Não, mas um não um bem grande", disse. Raúl Castro, que preside Cuba interinamente desde que seu irmão Fidel transferiu o poder em 31 de julho por conta de uma doença não revelada, condecorou vários dos sobreviventes do ataque frustrado. "A revolução não entra em jogo para os cubanos, porque sem a revolução, não há soberania possível, nem respeito a nossa identidade e nossa cultura", disse Lage Codorníu, de 25 anos. "Não somos, nem seremos, ingênuos, nem entraremos em concessões".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.