Fidel completa 80 anos em meio a incertezas sobre sua saúde

Neste domingo, comunistas, socialistas, revolucionários e nacionalistas de Cuba e de todo o planeta comemoram os 80 anos do presidente cubano Fidel Castro. Alguns poderiam dizer que eles estão adiantados, já que especula-se que Fidel tenha nascido um ano depois da data oficial de seu aniversário - 13 de agosto de 1926. Fidel Castro Ruz nasceu na fazenda Manacás de Biran, no leste de Cuba. A propriedade era de seu pai, um imigrante espanhol. Em 1945, com 19 anos, o jovem iniciou seus estudos de Direito na Faculdade de Havana.O primeiro ato revolucionário de Fidel veio oito anos mais tarde, em 1953, com o fracassado ataque aos quartéis Moncada e Carlos Manuel de Céspedes, em Santiago de Cuba. Pela tentativa, Fidel e seu irmão Raúl Castro foram presos pelo regime de Fulgêncio Batista, na época presidente da ilha. "A história me absolverá", a famosa frase foi pronunciada durante o julgamento pelos ataques, quando Fidel foi acusado a 15 anos de prisão. Durante o tempo em que ficou no cárcere, ele criou o Movimento 26 de Julho (M-26). A pena durou apenas dois anos, já que os irmãos Castro foram anistiados e deixaram a prisão em 1955.O início da RevoluçãoExilados no México, Fidel e Raúl conheceram o médico argentino Ernesto Guevara, que depois viria ser seu companheiro revolucionário, Ernesto "Che" Guevara. Os planos revolucionários para Cuba começaram a ser traçados por Fidel e Che Guevara durante o ano em que viveram no México. Em 25 de novembro de 1956, o iate "Granma" parte de Santiago de la Peña, no México, em direção a ilha de Cuba. A bordo, 82 homens dispostos a começar uma revolução contra o governo de Fulgêncio Batista.O desembarque de Fidel, Che e seus seguidores acontece no dia 2 de dezembro de 1956, quando descem na praia Las Coloradas, perto de Manzanillo, no norte de Cuba.Os planos para a revolução duraram mais de um ano e, somente no dia 1º de março de 1958, Fidel Castro declara guerra total no país, pedindo apoio à população para derrubar o governo de Batista.As batalhas na Sierra Maestra e os combates contra o governo duraram dez meses, mas a vitória veio no dia 1º de janeiro de 1959, quando Fulgêncio Batista foge do país e os revolucionários declaram vitória. Era o início da era Fidel. A entrada triunfal de Fidel na capital da ilha, Havana, acontece uma semana depois, dia 8 de janeiro, quando revolucionários e população saem às ruas para comemorar a vitória. Início do isolamentoOs Estados Unidos foi o primeiro país a reconhecer a vitória de Castro, mas suas posições políticas e a postura radical na economia fizeram com que as nações se afastassem e se tornassem rivais. Em tempos de Guerra Fria, a aproximação de Cuba com a URSS cooperou para que o os norte-americanos declarassem um embargo econômico à ilha.Apenas em 1961 Fidel declara o caráter socialista da Revolução, depois de ter desapropriado latifúndios, nacionalizado empresas estrangeiras e criado os Comitês de Defesa da Revolução (CRD), considerados "olhos e ouvidos" dos ideais socialistas nos bairros de Cuba.A nacionalização das empresas estrangeiras, em sua maioria norte-americanas, fez com que Cuba fosse expulsa da OEA (Organização dos Estados Americanos). Começava o isolamento político e econômico do país comandado por Fidel.O rompimento com os EUA e o atrelamento ideológico com a URSS causou uma das principais crises diplomáticas da história. Em outubro de 1962, a "Crise dos Mísseis", provocada pela instalação de silos para mísseis soviéticos voltados para o território norte-americano, abala ainda mais a relação entre os dois países - distantes apenas 150 quilômetros um do outro.Em outubro de 1965, Che Guevara, principal aliado de Fidel, abandona os cargos que tinha no país e sai da ilha com a intenção de instaurar a Revolução Comunista em outras nações. Após a renúncia de Che, Fidel comanda a conversão do Partido Unido da Revolução Socialista (PURS) em Partido Comunista de Cuba (PCC).A queda da URSS, em 1989, põe início à crise econômica na ilha, já que o bloco soviético era o único aliado nas relações comerciais do país. Assim, Fidel viu-se obrigado a abrir a ilha para investimentos e entrada de empresas com capital estrangeiro. Porém, Fidel resiste aos pedidos de eleições multipartidárias, feitos pelos Estados Unidos diversas vezes."Arbitrariedades" de FidelA Constituição Cubana, aprovada em fevereiro de 1976, sofreu apenas duas reformas em seus 50 anos de vigência. A primeira em julho de 1992 e a segunda em junho de 2002.Enquanto Fidel construía escolas, acabava com o analfabetismo e construía um sistema nacional de saúde reconhecido mundialmente, apoiava outros movimentos revolucionários na América Latina e na África.Entretanto, as liberdades dos cubanos começaram a ser cerceadas, os jornais começaram a ser censurados e os direitos religiosos impedidos. A partir de 1980, cubanos desesperados para deixar a ilha passam a negociar com embaixadores de outros países. Milhares de cubanos se refugiaram na embaixada do Peru e 130 mil pessoas deixaram a ilha com destino a Flórida.Os acordos migratórios só passaram a ser assinados em dezembro de 1984, com os EUA, principal destino dos exilados políticos do regime castrista.Em julho de 1989, o julgamento e fuzilamento do general Arnaldo Ochoa, acusado de tráfico de drogas e alta traição, faz com que a comunidade internacional acuse Fidel por suas arbitrariedades.Saúde debilitadaA saúde de Fidel Castro passou a ser considera frágil em 2001, quando ele desmaiou em um ato público nos arredores de Havana. Três anos depois, em outubro de 2004, o presidente cubano tropeçou e sofreu graves lesões no braço e na perna. Sua primeira aparição em uma cadeira de rodas foi após a queda.Desde o dia 31 de julho, quando entregou provisoriamente o poder, pela primeira vez em 47 anos, a seu irmão Raúl, Fidel está internado para recuperar-se de uma intervenção intestinal. A operação teve de ser feita depois que o presidente sofreu uma hemorragia.Durante as duas semanas de internação, as atenções se voltaram à saúde de Fidel e à sucessão em Cuba. Aliados e opositores especulam sobre o real estado do presidente, já que nenhum boletim médico foi divulgado desde então. Os principais aliados de Fidel protestam contra a tentativa dos Estados Unidos de interferir na política ilha. Manifestações pró-Fidel foram feitas nas ruas de Havana, grupos de artistas e acadêmicos se pronunciaram a favor do restabelecimento do líder e da continuidade de seu mandato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.