Fidel diz que não viverá mais 4 anos

Em artigo, cubano diz que pode não ver o fim do mandato de Obama

AP E REUTERS, O Estadao de S.Paulo

24 de janeiro de 2009 | 00h00

O líder cubano Fidel Castro disse ontem que tem dúvidas se ainda estará vivo até o fim do mandato de quatro anos do presidente dos EUA, Barack Obama. No mesmo dia, foi divulgada a primeira imagem do cubano em dois meses - na foto, ele aparece acompanhado da presidente da Argentina, Cristina Kirchner.Em uma de suas colunas publicadas no jornal oficial Granma, Fidel, de 82 anos, sugere que seus dias estão contados, mas pede para que o governo de seu irmão, Raúl, não se sinta constrangido por seu estado de saúde ou por sua morte. "Tive o raro privilégio de observar os acontecimentos por um longo período de tempo", escreveu o cubano. "Creio que não desfrutarei desse privilégio daqui a quatro anos."Apesar de não ter dado detalhes, as declarações do revolucionário foram vistas como uma espécie de despedida. A saúde de Fidel é um segredo de Estado em Cuba e as mais de 180 colunas de opinião, escritas desde março de 2007, são consideradas um indicador de sua atividade. Fidel não é visto em público desde julho de 2006, quando se afastou do poder por problemas de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.