Fidel e Arafat devem ir à Conferência sobre racismo da ONU

O presidente cubano Fidel Castro e o líder palestino Yasser Arafat estão entre os líderes mundiais cuja presença é esperada na Conferência Mundial contra o Racismo em Durban, na África do Sul, que se inicia no final deste mês, anunciaram hoje as Nações Unidas. Fidel deverá discursar em 1º de setembro, o segundo dia da conferência enquanto Arafat foi destacado para falar no dia seguinte.Entre outros que já confirmaram presença está o presidente da Argélia, Abdelaziz Bouteflika, e os presidentes da Letônia, Polônia, Venezuela, Bósnia, Ruanda e do Senegal, além do vice-presidente do Panamá e dos primeiros-ministros de Moçambique e de São Vicente e Granadinas.O encontro em Durban é a primeira conferência global sobre racismo nos últimos 18 anos, mas vem enfrentando uma série de problemas.Os EUA e Israel amaeçaram boicotar a reunião em razão da proposta, apoiada pelos países árabes, de acusar Israel de racismo contra os palestinos, e vários países ricos adotaram posição cautelosa em relação à demanda dos países africanos de que eles deveriam ser compensados como vítimas do colonialismo e da escravidão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.