Fidel encabeça marcha de 1 milhão contra Bush

Pelo menos 1 milhão de cubanos, segundo os organizadores, participaram de um protesto no centro de Havana contra "a política fascista de George W. Bush". A marcha foi convocada no começo da semana e durou cerca de seis horas. A razão do protesto foi um pacote de medidas para "acelerar a queda do regime" cubano, adotado por Bush na semana passada.Na frente do Escritório de Interesses dos EUA em Cuba, antes do início da passeata, Fidel falou à multidão e se disse disposto a "morrer combatendo em defesa do país"."Este povo pode ser exterminado - e bem vale a pena sê-lo - varrido da face da terra, mas não subjugado nem submetido de novo à condição humilhante de neocolônia dos Estados Unidos", discursou Fidel, vestido em seu habitual uniforme verde oliva.As medidas de Washington restringem a remessa de dólares de cubanos residentes nos EUA para Cuba e limitam as viagens autorizadas de cubano-americanos para a ilha. Com isso, a Casa Branca espera sufocar a economia cubana e eventualmente ajudar a promover um governo democrático na ilha."Sabemos o que você (Bush) pensa ou pretende que acreditem sobre os que estão aqui nesta marcha. Em sua opinião trata-se de massas oprimidas e ansiosas por liberdade levadas às ruas pelo governo de Cuba. Você ignora por completo que este povo digno e altivo tem resistido a hostilidades por 45 anos... nenhuma força do mundo poderia arrastá-lo como um rebanho", comentou Fidel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.