Fidel está em estado ´muito grave´, diz jornal espanhol

O líder cubano Fidel Castro está em estado "muito grave" após ter sido submetido a três cirurgias malsucedidas para tratar de uma infecção intestinal, informou a edição desta terça-feira do jornal El Pais. No entanto, o médico espanhol, José Luis Garcia Sabrido, que foi a Cuba no mês passado para examinar Fidel, manteve seu diagnóstico anterior e disse que o líder não tem câncer e está se recuperando.A matéria publicada pelo diário espanhol cita duas fontes médicas do hospital madrilenho Gregorio Maranon, onde Sabrido e sua equipe trabalham. Porém, em entrevista à rede CNN, o cirurgião-chefe afirmou que qualquer declaração que não tenha sido dada por ele ou por outros médicos de Fidel "não tem fundamento".Na segunda, um diplomata próximo ao governo de Havana havia dito à agência Reuters que Fidel apresentou problemas de cicatrização no corte da cirurgia intestinal à qual foi submetido e descartou que o líder tenha câncer, como suspeitam os Estados Unidos. "Fidel tem problemas para que os pontos se cicatrizem", afirmou.A fonte, que participou na segunda-feira da cerimônia de posse do novo governo equatoriano, em Quito, acrescentou ainda que, em um único dia de dezembro, Fidel teria entrado sete vezes na sala de cirurgia. No entanto, nenhum funcionário do governo cubano comentou as declarações.Um diplomata cubano em Madri reagiu às informações, classificando a reportagem do El Pais como "uma história inventada". "Trata-se de mais uma mentira e nós não vamos comentar o assunto", disse a fonte à agência Associated Press. "Se alguém tem de falar sobre o estado de saúde de Castro, esse alguém é o governo cubano".Em julho do ano passado, Fidel foi operado, entregou o poder a seu irmão Raúl e não apareceu mais em público. No fim de dezembro, em mensagem de ano-novo divulgada pela mídia estatal, o líder disse aos cubanos que está se recuperando lentamente da delicada cirurgia a que foi submetido, mas que essa "não será uma batalha perdida".Recentemente, funcionários não-identificados do governo americano disseram à imprensa dos Estados Unidos que Fidel teria câncer, possivelmente em estágio terminal. No entanto, no dia 26 de dezembro, Sabrido negou a informação, mas disse que ele necessitaria de futuras cirurgias.Embora o estado de saúde de Fidel, de 80 anos, permaneça sob segredo de Estado, autoridades do governo cubano têm repetido constantemente que o líder da Revolução de 1959 não sofre de nenhuma doença terminal e está se recuperando.Este texto foi alterado às 11h03 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.