Fidel nega importação de armas da China

O líder cubano, Fidel Castro, afirmou nesta quarta-feira que as únicas "armas" que a China enviou a Cuba em meses recentes foram arroz, feijão e tecido.A afirmação foi uma resposta ao Departamento de Estado dos EUA, que na semana passada expressou preocupação com informações segundo as quais Pequim estaria enviando armamentos para a ilha comunista.Mais tarde, no entanto, Washington negou a possibilidade. Nesta quarta-feira, Castro explicou que os três únicos navios chineses que chegaram a Cuba no último ano transportavam produtos tais como roupas, macarrão, tecidos para uniformes, além de material para a fabricação de explosivos para uso não militar. "Sim, são armas para matar", disse Fidel com ironia. "Olhem para as munições". Segundo o líder cubano, Havana nunca solicitou qualquer tipo de armamento à China em 34 anos de relação, e nem ao menos gastou "um centavo" com armas com qualquer nação na última década.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.