Fidel opinará em decisões-chave

Além de incluir em seu discurso de ontem no Parlamento cubano uma série de referências a Fidel, o novo presidente de Cuba, Raúl Castro, surpreendeu ao pedir ao Legislativo autorização para continuar a consultar o irmão sobre as decisões "de especial transcendência" para o futuro da ilha - especialmente as relacionadas à defesa, política externa e desenvolvimento socioeconômico. O aval do Legislativo foi dado imediatamente pelos 614 deputados. "Fidel está aí, como sempre, com a mente bem clara e a capacidade de análise mais que intacta, fortalecida'''', afirmou Raúl. "É comovente sua decisão de continuar enquanto ele tenha forças para fazer isso." Afastado do poder desde julho de 2006, quando foi obrigado a se submeter a uma cirurgia de emergência no intestino, Fidel manteve a liderança do Partido Comunista e pretende continuar a escrever artigos na imprensa cubana. "Fidel é insubstituível e o povo cubano continuará sua obra quando ele já não estiver presente fisicamente", afirmou Raúl. O novo presidente da ilha recebeu, logo após ser indicado pelo Legislativo para o cargo, um telefonema do presidente venezuelano, Hugo Chávez, e aceitou seu convite para visitar a Venezuela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.