Fidel passa a noite no Rio antes de viajar para África do Sul

O presidente de Cuba, Fidel Castro, de 75 anos, desembarcou, hoje, às 19h, na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, onde foi recebido pelo governador Anthony Garotinho e secretários do Estado. A visita de Fidel à cidade foi uma escala técnica antes da viagem à Africa do Sul, onde ele participará da Conferência das Nações Unidas contra o Racismo. Ao chegar ao hotel Rio Othon Palace, em Copacabana, na zona sul, por volta das 20h, ele foi recebido por cerca de cem pessoas, entre estudantes, sindicalistas e militantes de esquerda que seguravam bandeiras de Cuba e gritavam "Viva Fidel, viva a revolução".Após desembarcar na Base Aérea, Fidel ficou 20 minutos reunido, em uma sala reservada, com o governador e seus secretários. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio, Tito Ryff, os dois conversaram sobre a economia do Rio de Janeiro a economia mundial. "Fidel Castro falou sobre a recessão da economia americana, mas não fez nenhum tipo de crítica. Ele ainda quis saber sobre a questão do petróleo no Brasil", disse Ryff.O secretário afirmou ainda que Garotinho presenteou o presidente de Cuba com dois livros: um sobre pintores brasileiros e outro que traz uma coletânea de seminários produzidos pela Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), com textos de intelectuais fluminenses sobre os efeitos da globalização no Brasil.Segundo informações da Aeronáutica o vôo de Fidel para o continente africano está programado para às 8h de amanhã. Outras informações do governo do Rio, porém, dizem que ele deixará a cidade às 15h. O sigilo em torno da agenda do comandante já é conhecido. Hoje, por exemplo, a própria Aeronátutica tinha informações que o presidente de Cuba chegaria na segunda aeronave da comitiva. Para surpresa dos militares, no entanto, o presidente cubano desembarcou no primeiro avião. As duas aeronaves são de fabricação russa, modelo IL62M.Acompanham o presidente de Cuba cerca de cem pessoas, entre assessores, seguranças e jornalistas da imprensa oficial de Cuba. Toda a comitiva está hospedada no Rio Othon Palacel. O presidente de Cuba entrou no hotel acompanhado por Garotinho sem falar com ninguém. O fotógrafo argentino Renzo Gostoli, que trabalha para a Associated Press, foi agredido por seguranças do presidente cubano porque insistia em tirar fotos de Fidel no momento em que ele chegou ao hotel. Gostoli levou uma gravata e socos na costela. Ele disse que vai registrar a agressão na delegacia.O chefe de estado decidiu jantar no seu quarto. Ele pediu frango grelhado, arroz branco, azeite de oliva e salada de abacate e milho verde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.