''Fidel saiu caminhando pelas ruas de Havana'', diz Chávez

Presidente venezuelano diz ter visto fotos de líder cubano, de 82 anos, passeando

AFP, O Estadao de S.Paulo

28 de fevereiro de 2009 | 00h00

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, disse ontem que o líder cubano Fidel Castro está tão bem de saúde que chegou a fazer uma "caminhada" pelas ruas de Havana. "Fidel nos surpreendeu. Sabe o que ele fez? Saiu caminhando pelas ruas de Havana. Um milagre. As pessoas choravam, choravam. Claro que ele planejou tudo para que não houvesse registros (desse episódio). Há uma foto que eu vi e por isso me considero um humilde privilegiado", afirmou Chávez, numa participação no programa de TV venezuelano La Hojilla (A Lâmina, na tradução livre), que satiriza os jornais de oposição. "Aqueles que dizem que Fidel morreu ou está morrendo estão errados."Fidel, de 82 anos, afastou-se do poder em julho de 2006, quando teve de ser submetido a uma cirurgia de emergência no intestino. Desde então, não aparece em público, apesar de publicar artigos na imprensa oficial cubana com alguma frequência e de, esporadicamente, aparecer em fotos com líderes internacionais que o visitam. Em janeiro, uma declaração do presidente venezuelano levantou rumores de que o estado de saúde de Fidel tivesse piorado bastante ou que ele já estivesse morto."Sabemos que aquele Fidel, que corria as ruas abraçando as pessoas, não voltará", disse Chávez na ocasião. Desde então, o venezuelano tem-se preocupado em reiterar, em diversas ocasiões, que o colega cubano está "bem". "Ele está muito melhor do que das outras vezes que o visitei", afirmou Chávez ontem. O líder venezuelano esteve em Cuba uma semana atrás, para uma visita cujos propósitos não foram divulgados. Além de se reunir por três horas com Fidel, Chávez encontrou-se também com o presidente cubano, Raúl Castro.Pouco depois de o presidente venezuelano participar do La Hojilla, a emissora de rádio e TV estatal Rádio Nacional da Venezuela, na qual o programa é gravado, foi assaltada por quatro homens armados. CENTRO JUDAICOAinda ontem, o Congresso Judaico Latino-Americano e a Confederação Israelita do Brasil (Conib) exigiram mais segurança para a comunidade judaica na Venezuela. Na quinta-feira, uma bomba caseira foi lançado contra um centro comunitário judaico no norte de Caracas. Em janeiro, a mais importante sinagoga da capital venezuelana foi invadida e depredada. Segundo alguns membros da comunidade judaica venezuelana discursos anti-Israel de Chávez seriam um estímulo para grupos violentos aliados do presidente promoverem os ataques.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.