Fidel se oferece para mediar crise nuclear norte-coreana

O presidente de Cuba, Fidel Castro, ofereceu seus serviços pessoais para ajudar a resolver a crise nuclear norte-coreana, embora, admitiu, seus conhecimentos sobre o governo de Pyongyang são "limitados".Em visita oficial ao Japão, na última etapa de sua viagem à Ásia, o líder cubano fez sua oferta durante um encontro com o primeiro-ministro japonês, Junichiro Koizumi.Fidel afirmou que, embora suas relações com a Coréia do Norte "não sejam próximas, está "pronto para fazer todo o possível, no limite de minhas capacidades", para cooperar na crise nuclear, desatada depois que o governo norte-coreano decidiu abandonar o Tratado de Não-Proliferação Nuclear.Fidel disse também que ficará "feliz por fazer qualquer coisa", como ser portador de uma mensagem para mediar a crise, que definiu como "muito perigosa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.