Fidel se recupera e está no comando de Cuba, diz assessor

O líder cubano Fidel Castro, que deixou o cenário público há seis meses depois de se submeter a uma cirurgia de emergência, está se recuperando e ainda está à frente de Cuba, disse uma autoridade do governo na quinta-feira. "Ele ainda está no comando (da ilha)", disse Ricardo Alarcon, presidente da Assembléia Nacional de Cuba, a jornalistas. Alarcon disse que o líder cubano de 80 anos estava afastado porque cumpria recomendações rigorosas do médico para sua convalescência que, segundo o assessor, "seguia muito bem". Fidel deixou o poder pela primeira vez desde a revolução de 1959, quando entregou temporariamente o cargo a seu irmão, o ministro da Defesa Raúl Castro, em 31 de julho. Alarcon disse que o momento da volta de Fidel Castro à vida pública depende de sua recuperação e deu indícios de que os cépticos se surpreenderiam. Fidel foi submetido a uma cirurgia para conter uma hemorragia no intestino, causada por excesso de trabalho, disse o governo. Detalhes de sua condição são considerados um segredo de Estado. Autoridades norte-americanas suspeitam que Fidel esteja com câncer em estágio terminal. Mas o jornal espanhol El País disse que o presidente cubano estava com diverticulite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.