Fidel usa suposta obra para esconder mensagens dos EUA

O governo cubano transformou em um grande canteiro de obras o estacionamento que ficava em frente a Seção de Interesses dos Estados Unidos em Havana para, segundo diplomatas americanos, encobrir mensagens sobre direitos humanos exibidas em um painel eletrônico na fachada do prédio. Guindastes e operários estão trabalhando na área 24 horas por dia, mas ninguém diz o que está sendo construído, nem Fidel Castro. Na quarta-feira à noite, o presidente foi até o local com o seu Mercedes Benz preto e conversou com os trabalhadores da construção. Fidel chamou os diplomatas americanos em Havana de "cucarachas" (baratas) e quando foi questionado sobre o que era a obra, disse que não queria estragar a surpresa. Enquanto o líder cubano falava, o grande painel eletrônico exibia mensagens, como a notícia de que os palestinos haviam ido às urnas para escolher um novo Parlamento pela primeira vez em dez anos. Em seguida, o painel mostrava declarações do presidente George W. Bush de que as pessoas têm direito de viver como quiserem. Cuba e Estados Unidos travam uma guerra de propaganda há décadas, mas o incidente do painel indica uma escalada nas tensões - os países já não têm ligações diplomáticas há 45 anos.O governo cubano já colocou cartazes com caricaturas de Bush como um fascista ou um vampiro. Fidel Castro diz que os Estados Unidos estão decididos a cortar todas as relações bilaterais com Cuba e que não acredita que a ilha teria muito a perder se isso acontecesse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.