'Fiel amigo' de Bush Pai o acompanha em sua última viagem a Washington 

A conta de Sully no Instagram o descreve como o 'labrador mais amável e gentil', um jogo de palavras com o discurso de Bush em 1988, quando pediu uma nação 'mais amável e gentil'

O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2018 | 19h51

WASHINGTON - Um presidente dos EUA disse certa vez que a melhor forma de ter um amigo em Washington é conseguir um cachorro. Sully demostrou nesta segunda-feira, 3, ser o fiel amigo do presidente de número 41 do país, George H.W. Bush, cujo corpo voltou à capital americana para ser velado.  

Com um colete com as cores da bandeira americana, o labrador amarelo acompanhou o caixão de seu dono a bordo do avião presidencial, Air Force One, emprestado por Donald Trump. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Mission complete.

A post shared by Sully H.W. Bush (@sullyhwbush) on

"Missão cumprida", tuitou o porta-voz da família Bush, Jim McGrath, com a hastag #Remember41 e uma foto de Sully deitado ao lado do caixão do ex-presidente, que morreu no sábado aos 94 anos

Treinado para auxiliar ex-militares, Sully, de 2 anos, acompanha Bush desde junho, poucas semanas depois da morte da mulher do ex-presidente, Bárbara, com quem esteve casado por 73 anos. 

O filho de Bush, e presidente número 43 dos EUA, George W. Bush, divulgou a mesma fotografia no Instagram com uma mensagem que anunciava a chegada de Sully ao Centro Médico Militar Nacional Walter Reed, em Maryland, nos arredores de Washington D.C. 

"Por mais que nossa família sinta a falta desse cachorro, nos reconforta saber que levará a mesma alegria a seu novo lar, o Walter Reed, que levou ao (presidente) 41", escreveu Bush filho. Sua mensagem recebeu cerca de 250 mil curtidas. 

Sully é o nome do piloto aposentado Chesley "Sully" Sullenberger III, que ficou famoso logo depois de fazer um pouso de emergência de um avião de passageiros no Rio Hudson, em Nova York, em 2009. 

Os historiadores acreditam que a popular frase de Harry S. Trumam sobre os amigos em Washington e os cachorros é provavelmente uma ironia (já que o 33º presidente dos EUA não gostava de cachorros), mas ele teria gostado de Sully. 

O peludo de quatro patas tornou-se uma estrela na internet. A própria conta de Sully no Instagram o descreve como o "labrador mais amável e gentil", um jogo de palavras com o discurso de Bush em 1988, quando pediu uma nação "mais amável e gentil". 

A conta, com 123 mil seguidores, traz o registro do tempo em que Sully passou com Bush em Walker's Point, onde fica o complexo da família em Kennebunkport, Maine.

Uma das fotografias mostra Sully com Bush e o 42º presidente Bill Clinton, que o derrotou na eleição presidencial de 1992. Ambos mantinham estreita amizade. 

Bush Pai, que sofria de Parkinson e por isso usava uma cadeira de rodas, recebeu Sully do grupo VetDogs dos EUA, que fornece cachorros de serviço a pessoas com limitações físicas ou afetadas por transtorno de estresse pós-traumático./AFP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.