Filha de Che Guevara se irrita com pobreza no Brasil

Aleida Guevara, que é pediatra em Cuba, diz que sentiu "um aperto no coração". "Pensei que aquela dor não fosse me deixar", escreveu ela. "Vi crianças vivendo nas condições mais pobres, usadas por pessoas inescrupulosas para a prostituição e tráfico de drogas." Aleida conta que ficou muito "irritada" ao se deparar com uma realidade assim "em um dos países mais ricos de meu continente". "No Brasil", prosseguiu a filha de Che Guevara, "entendi que nós humanos precisamos colocar um limite para a nossa paciência e devemos decidir quando é melhor morrer de fome ou morrer lutando para mudar essa realidade".

Agencia Estado,

13 Outubro 2004 | 10h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.