Filha de líder de ONG é acusada de associação ilícita

Alejandra, filha de Hebe de Bonafini, líder do grupo Mães da Praça de Maio, foi acusada de associação ilícita em um processo que investiga o suposto desvio de dinheiro da entidade humanitária. Ela é suspeita de ter comprado um apartamento com verba da empresa de Sergio Schoklender, ex-advogado da Fundação Mães da Praça de Maio. Ele está preso por fraude e associação ilícita por desvio de fundos públicos da organização.

O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2012 | 03h03

A procuradoria argentina investiga um desvio de cerca de 40 milhões de pesos (US$ 8,9 milhões) de um total de 700 milhões (US$ 156,6 milhões) que teriam sido pagos pelo governo às Mães da Praça de Maio. Schoklender depôs por cinco horas na quarta-feira e negou todas as acusações. As Mães da Praça de Maio ficaram conhecidas mundialmente por reivindicar informações sobre os filhos desaparecidos na ditadura militar. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.