Filha dos Clintons dribla imprensa para se casar

Da lista de convidados aos pratos do banquete, praticamente nenhuma informação foi revelada sobre o casamento de Chelsea, marcado para hoje

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

O casamento de Chelsea Clinton, filha do ex-presidente e da atual secretária de Estado dos EUA, está cercado de tanto segredo que já se tornou alvo das piada na imprensa americana. "Onde está o WikiLeaks quando precisamos dele?", perguntou ontem Clyde Haberman, colunista do "New York Times", referindo-se ao site que divulgou segredos militares sobre a guerra afegã.

Pouco se sabe além de que o casamento ocorrerá hoje na pequena cidade de Rhinebeck, à beira do Rio Hudson, no Estado de Nova York. Sabe-se também que o espaço aéreo da cidade será fechado a partir das 12 horas, por razões de segurança.

No entanto, da lista de convidados aos pratos do banquete, tudo é um mistério. Não se sabe nem mesmo se a cerimônia será celebrada por um pastor protestante ou um rabino - o noivo, Marc Mezvinsky, é judeu. Nesse caso, os dois só se casariam após o pôr do sol, quando se encerra o Shabat (dia do descanso judaico).

Especula-se que serão cerca de 400 a 500 convidados, divididos igualmente entre a família de Chelsea e Marc. Muitos tradicionais doadores de campanhas dos Clintons reclamaram por não estar na lista. Mas Hillary e Bill deixaram claro que o evento será familiar.

Até o presidente Barack Obama foi excluído - segundo ele mesmo, por questões de segurança. Já a apresentadora de TV Oprah Winfrey, o diretor Steven Spielberg e a cantora Barbra Streisand estão convidados.

O custo do evento está avaliado entre US$ 3 milhões e US$ 5 milhões. Os convidados são obrigados a concordar com uma série de exigências de segurança para comparecerem à festa. Celulares estão proibidos para que não sejam tiradas fotos. A não ser por jornalistas amigos do casal, a imprensa será impedida de acompanhar o casamento.

O noiva e a noiva se conheceram na adolescência, em Washington, quando Chelsea vivia na Casa Branca. Marc também vem de família proeminente. A mãe é deputada e o pai era um megainvestidor do mercado financeiro até ser preso por fraude - pela qual cumpriu pena de 5 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.