Filha foragida de Pinochet é detida nos EUA

A filha mais velha do ex-ditador chileno Augusto Pinochet, Lucía Pinochet Hiriart, foi detida nesta quarta-feira no Aeroporto Dulles, em Washington. Ela chegava de Buenos Aires, para onde tinha viajado no domingo à noite com o objetivo de escapar de um processo aberto contra ela por evasão de divisas e falsificação de documentos.O porta-voz do governo chileno, Osvaldo Puccio, confirmou a prisão de Lucía, em obediência a uma ordem de captura emitida pela Justiça chilena.O juiz Carlos Cerda, responsável pela investigação das contas bancárias movimentadas no exterior pela família de Pinochet, foi o autor da ordem de prisão. Para tentar escapar da detenção, Lucía atravessou por terra a fronteira com a Argentina.A advogada Carmen Hertz, que colabora com a acusação, anunciou uma série de medidas cautelares contra Lucía Pinochet. Entre essas medidas está um pedido de extradição, embora não exista um acordo entre Chile e EUA para extraditar acusados de crimes fiscais.Caso os Estados Unidos rejeitem sua entrada, Lucía deverá ser enviada de volta à Argentina, país de onde saiu. O chanceler chileno, Ignacio Walker, disse esperar que depois ela retorne voluntariamente ao Chile.Lucía, seus irmãos Marco Antonio, Verónica e Jacqueline e a mulher de Pinochet, Lucía Hiriart, foram indiciados na segunda-feira pela sonegação de mais de US$ 6 milhões em impostos. Os demais parentes de Pinochet, no entanto, pagaram fiança e responderão ao processo em liberdade.Estima-se que em várias contas movimentadas pela família de Pinochet no exterior foram depositados mais de US$ 27 milhões. Esse montante teria sido acumulado com a venda ilegal de armas e má administração de fundos secretos durante a ditadura de Pinochet, entre 1973 e 1990.A defesa dos parentes de Pinochet alega que eles são vítimas de uma "perseguição política".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.