Filhas de Saddam estressadas com vida simples

Duas das três filhas de Saddam Husseinestão sentindo na pele o impacto da queda do ex-ditadoriraquiano. Acostumadas a viver nos palácios presidenciais que opai mandou construir pelo país afora, Raghad e Rana estãovivendo cada uma "espremida" com os filhos (ao todo, nove) emum quarto de uma casa comum em Bagdá. Em maio, elas receberampor duas vezes a visita de Izziddin Mohammed Hassan al-Majid,primo de Saddam, que contou a história para o jornal árabeAsharq Al-Awsat. Al-Majid era primo também dos falecidos maridos de Raghad eRana, os irmãos Hussein e Saddam Kamel, que ganharam famamundial em 1995, quando fugiram (com as mulheres) para aJordânia. Oficiais do Exército iraquiano, eles teriam pedidoasilo no Ocidente em troca de supostas informações sigilosassobre os programas de armas nucleares, químicas e biológicas doditador. No ano seguinte, voltaram ao Iraque, com as famílias,aceitando um perdão oferecido por Saddam, mas logo foramassassinados. O próprio Al-Majid fugiu do Iraque na mesma época, mas, aocontrário dos primos, exilou-se em Londres para só voltar emabril, depois que a coalizão anglo-americana ocupou Bagdá edepôs Saddam. Falando por telefone ao Asharq Al-Awsat, elegarantiu que Raghad e Rana não sabem do paradeiro do pai nem dosirmãos Uday e Qusay. Os três são os homens mais procurados noIraque pelas tropas aliadas. "Elas estão muito revoltadas com tudo que está acontecendo noIraque. Vi lágrimas nos olhos delas, especialmente quandofalavam da queda do regime", contou o primo. "Elas agora lavama roupa com as próprias mãos, arrumam a casa, cozinham",exemplifica Al-Majid. Estressadas com a rotina de gente simples, depois de uma vidacom criados, guarda-costas e todas as comodidades e privilégios,as filhas de Saddam destilam rancor contra os homens deconfiança que, na última hora, teriam traído o ditador. "Raghad me disse que o regime caiu porque os assessores dopai só estavam interessados no poder e no dinheiro", contouAl-Majid. Ele em breve voltará a Londres para negociar um pedidode asilo para as "órfãs" de Saddam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.