Filho de ditador fica de fora do Parlamento norte-coreano

Apenas 316 membros foram substituídos, em sua maioria posições de pouco peso político no país

Efe,

10 de março de 2009 | 02h32

O terceiro filho do ditador norte-coreano Kim Jong-il não aparece na lista dos novos membros da Assembleia Suprema do Povo (Parlamento) da Coreia do Norte, após as eleições de domingo passado, conforme noticiou nesta terça-feira, 10, a agência Yonhap. Coreia do Norte ameaça com guerra se satélite for interceptadoKim Jong-il é reeleito com 100% dos votos Durante as eleições parlamentares, o principal interesse foi saber se Kim Jong-um, terceiro filho e favorito do líder norte-coreano, tinha se apresentado, o que aumentaria a possibilidade de que ele sucedesse seu pai no poder. Um funcionário do Ministério de Unificação da Coreia do Sul, citado pela agência sul-coreana Yonhap, disse que não houve surpresas nas eleições e que nenhum dos três filhos do líder norte-coreano entrou no Legislativo. Entre as 687 cadeiras da Assembleia Suprema do Povo, não ocorreram grandes mudanças e apenas 316 membros foram substituídos, em sua maioria posições de pouco peso político no país. O próprio Kim Jong-il foi reeleito, em uma circunscrição militar em Pyongyang, com 100% dos votos. A Coreia do Norte realiza a cada cinco anos as eleições parlamentares, uma mera formalidade no país. O pleito conta apenas com um candidato por cada circunscrição, designado pelo Partido dos Trabalhadores. Este ano o índice de participação alcançou 99,98% e os candidatos foram aprovados com 100% dos votos.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteCoreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.