Filho de Kadafi aparece na televisão e desmente sua captura

Saif al-Islam afirma que governo está 'vencendo a guerra' na Líbia e garante que seu pai está bem

Agência Estado

22 de agosto de 2011 | 20h57

Imagem reproduzida pela Al-Jazira mostra Saif al-Islam nas ruas de Trípoli

 

TRÍPOLI - Saif al-Islam, filho de Muamar Kadafi que teria sido preso no domingo pelos rebeldes da Líbia, não está sob custódia dos insurgentes. Jornalistas a serviço de diversos veículos estrangeiros de informação enviados a Trípoli afirmaram ter visto Saif em liberdade no complexo residencial do pai na noite desta segunda-feira, 22. Posteriormente, um canal favorável ao ditador mostrou imagens de seu filho nas ruas da capital.

 

Veja também:

RADAR GLOBAL: Acompanhe ao vivo a situação na Líbia

PERFIL: Excêntrico e nacionalista, Kadafi chegou ao poder em 1969

VÍDEO: Líbios vão às ruas para celebrar notícia da queda de Trípoli

ESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia

VISÃO GLOBAL: A insustentável situação de Kadafi 

 

Entre o domingo e esta segunda, representantes rebeldes afirmaram ter prendido dois filhos de Kadafi: Mohammed Kadafi, que é o mais velho, e Seif al-Islam, antes apontado por analistas como provável sucessor do pai.

 

 

Na noite do domingo, a rede pan-árabe de televisão Al-Jazira entrevistava Mohammed por telefone quando sua residência foi atacada por rebeldes. Ouviram-se tiros e a ligação caiu na sequência. Nesta segunda, os rebeldes anunciaram a detenção de Mohammed, mas durante a tarde as tropas leais a Kadafi conseguiram libertá-lo.

 

 

Seif al-Islam foi visto em liberdade apenas algumas horas depois de uma fonte rebelde ter confirmado que Mohammed havia escapado. "Sim, é verdade, ele escapou", disse a fonte ligada ao alto escalão da coalizão insurgente em Benghazi.

 

Saif apareceu na televisão cumrpimentando partidários de seu pai e disse que o líder líbio “quebrou a espinha dorsal dos ratos, dos gângsteres”, referindo-se aos rebeldes que entraram na capital domingo. Ele ainda afirmou que as forças de Kadafi “vão assegurar que tudo vai ficar bem em Tripoli” e mandou o Tribunal Penal Internacional (TPI) – que o acusa de crimes contra a humanidade – “para o inferno”.

 

Na tarde do domingo, o presidente do rebelde Conselho de Transição Nacional, Mustafa Abdel Jalil, disse que Seif al-Islam era "mantido em lugar seguro sob estrita vigilância" e assim permaneceria "até ser entregue à justiça". Em entrevista à emissora americana de televisão CNN, o promotor TPI, Luis Moreno-Ocampo, chegou a afirmar ter recebido "informações confidenciais" dando conta da detenção. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.