Tim Wimborne/Reuters
Tim Wimborne/Reuters

Filho de Kadafi nega plano de fugir para o México

Advogado diz que Al-Saadi, que está no Níger como refugiado, temia por sua vida na Líbia

Agência Estado

09 de dezembro de 2011 | 13h35

CAIRO - Al-Saadi Kadafi, filho do líder líbio assassinado Muamar Kadafi, "nega vigorosamente" ter tramado um plano para entrar ilegalmente no México a fim de escapar da Líbia após a queda do regime de seu pai, disse nesta sexta-feira, 9, o advogado dele, Nick Kaufman. Al-Saadi fugiu para o vizinho Níger em setembro, e o governo daquele país lhe concedeu o status de refugiado.

 

Veja também:

tabela HOTSITE: A Líbia pós-Muamar Kadafi

 

O México disse na quarta-feira que al-Saadi e três parentes dele começaram a tramar um plano para entrar no país com nomes falsos e se refugiar clandestinamente em um resort na costa do Pacífico. Kaufman, que está envolvido em diversos casos de crimes internacionais, afirmou, por e-mail, que al-Saadi fugiu da Líbia porque ele temia pela vida dele e é grato ao governo do Níger por dar-lhe abrigo.

 

Kaufman negou que al-Saadi estava envolvido em qualquer irregularidade criminal, mas disse que "é difícil culpá-lo por fugir de um país onde a vida dele estava em grande perigo e onde o destino dele sem dúvida seria o mesmo de seu pai e de seu irmão".

 

O filho mais velho de Kadafi e sua família fugiram de Trípoli após a capital ser dominada por forças revolucionárias, no fim de agosto, durante uma brutal guerra civil. O ditador e um filho dele, Muatassim, foram mortos após serem capturados por ex-rebeldes no dia 20 de outubro. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.