Filho de Kim diz se opor à troca hereditária do poder

Em entrevista divulgada hoje pela emissora japonesa de TV Asahi, Kim Jong Nam, filho mais velho do líder norte-coreano Kim Jong-il, afirmou que se opõe à transferência hereditária do poder para seu irmão no regime comunista. "Pessoalmente, eu sou contrário à transferência hereditária (do poder) para uma terceira geração de minha família", afirmou Kim Jong Nam durante a entrevista, que foi realizada no sábado em Pequim.

AE, Agência Estado

12 de outubro de 2010 | 12h43

Kim Jong Nam, que vive em Macau, acrescentou que "de minha parte, estou preparado para ajudar meu irmão mais novo sempre que necessário, enquanto eu estiver no exterior". Segundo ele, houve "certas razões internas" para a planejada mudança de poder de pai para filho, e que se esse era o caso, "acho que teremos de tolerá-la".

O líder norte-coreano Kim Jong-il, que assumiu o poder de seu pai, Kim Il Sung, quando este morreu em 1994, designou nas últimas semanas seu filho mais novo, Kim Jong Eun, como seu aparente herdeiro político. Acredita-se que Kim Jong Eun tenha 27 anos. Ele foi promovido a general de quatro estrelas e obteve cargos importantes no mês passado na burocracia do partido que comanda o país.

Kim Jong Nam disse acreditar que o próprio pai tomou a decisão sobre o tema. "Como eu não tinha interesse no assunto, não me importo nem um pouco", garantiu. "Eu espero que meu irmão mais novo faça seu melhor para melhorar as vidas dos norte-coreanos." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do NorteKim Jong-iltrocapoder

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.