Filho de Mubarak vira candidato oficial no Egito

Pela primeira vez aparecem cartazes com a foto de Gamal como sucessor do pai, Hosni, [br]à presidência do país

Reuters e AP, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2010 | 00h00

CAIRO

Pela primeira vez, cartazes foram espalhados neste fim de semana pelo Egito para promover a candidatura de Gamal Mubarak, filho mais novo do presidente Hosni Mubarak, no controverso processo de sucessão no país que é um aliado fundamental dos EUA na região.

Hosni, de 82 anos, governa o Egito há mais de 30 anos e teria passado a última década preparando o filho para assumir seu lugar. Gamal, de 42 anos, conta com o apoio da elite econômica do Cairo e de Alexandria, mas tem uma pequena base popular. Ele fala inglês fluentemente e é visto como modernizador.

O partido governista, no entanto, está dividido sobre sua candidatura. Os cartazes apareceram no Cairo e em outra cidades do Egito e seriam parte de uma campanha dos aliados de Gamal para fortalecer seu nome.

O filho do presidente é apresentado como "o sonho dos pobres" e sua candidatura é vendida como fruto do clamor popular.

A sucessão de Hosni Mubarak é um tema recorrente no país, principalmente por causa da idade avançada do presidente e de sua saúde fragilizada. No início do ano, Hosni foi submetido a uma cirurgia na Alemanha.

O presidente já havia declarado que permaneceria no posto até seu último suspiro, mas ainda não confirmou sua intenção de concorrer a um sexto mandato, nas eleições do ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.