Filho de Netanyahu faz críticas a árabes na internet

Yair Netanyahu, filho de 19 anos de idade do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, publicou comentários ofensivos contra árabes e muçulmanos em sua página no Facebook, causando polêmica em Israel e dando combustível a críticas. Os comentários foram posteriormente retirados do ar.

AE, Agência Estado

24 de junho de 2011 | 19h59

No início do ano, Yair Netanyahu escreveu que os muçulmanos "celebram o ódio e a morte", publicou hoje o jornal israelense Haaretz. No mesmo texto na internet, publicado depois de um ataque contra uma família que vivia em um assentamento judaico na Cisjordânia ocupada, Yair diz que "o terror tem religião, e ela é o Islã".

Yair Netanyahu, que também é um porta-voz do exército de Israel, manifestou ainda na internet o desejo de que os palestinos jamais tenham um Estado independente e soberano. Dois anos atrás, também no Facebook, o filho do primeiro-ministro israelense fez parte de uma campanha de boicote a produtos e empresas árabes, prosseguiu o periódico.

O Haaretz informou que os comentários ofensivos foram retirados do ar cerca de duas horas depois de um pedido do jornal a assessores do governo para comentários sobre o caso. O pedido foi repassado aos advogados da família Netanyahu, que qualificaram as palavras de Yair como "um uso irônico de palavras ditas por um adolescente num momento de raiva".

Os comentários foram alvo de críticas imediatas de palestinos, céticos quanto à propalada vontade de Benjamin Netanyahu de fazer concessões em troca de um acordo de paz. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.