Filho de piloto diz que ele cometeu suicídio

Luigi Fasulo, o piloto do monomotor que se chocou contra a Torre Pirelli, no centro de Milão, queria se suicidar por causa de problemas financeiros, revelou hoje seu filho Marco ao jornal italiano La Repubblica. "Que acidente? Foi um suicídio! Quiseram lhe enganar e arruinar, e ele se matou", disse Marco.Marco, piloto da companhia aérea Swiss, descartou a possibilidade de seu pai, um "piloto muito experiente", com mais de 5 mil horas de vôo, ter "cometido um erro?. Poucos dias antes de morrer, Fasulo teria comentado com um amigo, Franco, ex-paraquedista italiano que vive no Brasil, que estava arruinado. "Me levaram tudo o que eu tinha, mais de um milhão de dólares", disse Fasulo ao amigo, escreveu o La Reppublica.Por outro lado, alguns amigos do piloto, excluíram categoricamente a tese de suicídio. "Era um homem cheio de vida", comentaram. "Meu tio amava a vida e não se suicidou", disse um sobrinho dele. "Não tinha nenhum motivo para se matar."A tese do suicídio é defendida também pelo governador da Lombardia, Roberto Formigoni, e pelo prefeito de Milão, Gabriele Albertini. "Conversei com o primeiro-ministro Silvio Berlusconi e ele também acha que foi suicídio."Para o prefeito Albertini que estava no Canadá e também chegou hoje a Milão não há nenhuma dúvida. "Foi um ato intencional do piloto. Só um profissional experiente faria o que ele fez, voando baixo, a 80 metros de altura, para atingir em cheio o alvo."Ele acrescentou que Fasolo não pediu socorro aos controladores do aeroporto como se informou, apenas disse que tinha problemas com o trem de pouso.Nascido em Caserta, cidade próxima a Nápoles, Fasulo tinha 65 anos, vivia na Suíça há vários anos, onde se dedicou ao negócio de aviões, com o qual acumulou fortuna.Conhecido como "piloto cowboy", Fasulo era dono de uma empresa de táxi aéreo, mas ultimamente havia se lançado em uma nova atividade, que lhe teria causado seus recentes problemas financeiros. O jornal não informa qual era a atual atividade de Fasulo.A idéia de suicídio tomou corpo depois que vários jornais italianos asseguraram hoje que Fasulo não emitiu um sinal de socorro, como havia sido dito ontem pelas autoridades. De acordo com as reportagens, ele teria unicamente afirmado que estava com "um pequeno problema" com o trem de aterrissagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.