Filho de político xiita diz que foi maltratado durante prisão

O filho mais filho de um influente político xiita disse neste sábado, 24, que foi "fortemente abusado" por soldados americanos que prenderam ele e seus guarda-costas enquanto atravessava fornteira para o Irã.Amar al-Hakim contou que foi tirado à força de seu carro e que em seguida os soldados americanos pediram a ele que ficasse com as mão para cima. Os membros do Exército ficaram gritando e atirando para cima. Em seguida, revistaram o filho do político e rasgaram sua bagagem.Ele disse que seu passaporte vale até o dia 17 de setembro de 2007 e foi checado pelos americanos."Este é o jeito de se lidar com uma figura nacional?" disse al-Hakim em uma entrevisat coletiva em Najaf.Depois do incidente, cerca de oito mil pessoas protestaram em Najaf, no sul de Bagdá, com bandeiras que tinham a foto de al-Hakim e de seu pai.."A detenção de al-Hakim representa um insulto aos iraquianos", disse Hassan al-Shebli, um dono de uma loja que estava entre os protestantes. "Os americanos deveriam evitar atos irresponsáveis se querem de fato estabilizar o país."Houve protestos também no distrito de Sadr e Bas cidades xiitas de Karbala e Basra. As pessoas pediram investigação sobre o caso."O que aconteceu é inaceitável, disse o legislador xiita Hamid Majid Moussa em programa de TV local.Os Estados Unidos acusam o Irã de fomentar a violência no Iraque e já manifestaram seu desconforto com as ligações históricas entre Teerã e o Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque (Sciri), partido de Hakim. O Sciri teve sede no Irã durante o governo de Saddam Hussein, que reprimia os xiitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.