Filho do líder supremo do Taleban morreu em ataque, diz BBC

Um dos filhos do líder supremo do regime taleban, o mulá Mohamed Omar, morreu em consequência de um ataque aéreo dos Estados. Um médico afegão confirmou a informação à BBC de Londres. De acordo com o médido Abdul Bari, o menino, de dez anos de idade, morreu em conseqüência dos ferimentos causados por explosões, na primeira noite de bombardeio à fortaleza do Taleban, Kandahar. O médico afirmou ter cuidado do filho do líder do Taleban por várias horas, pois o mulá Omar pediu para que ele salvasse a vida do seu filho. Com ferimentos no abdômen e uma fratura no fêmur, a criança não resistiu, morrendo na mesma noite. O tio do mulá Omar também foi atingido no mesmo bombardeio, mas, segundo informações, ainda está vivo e em tratamento, em Kandahar. Segundo o médico Abdul Bari, o hospital tem suprimentos apenas para mais cinco dias. As pessoas estão fugindo da cidade para conseguir tratamento médico na fronteira com o Paquistão. Bari deu a entrevista à BBC enquanto cruzava a fronteira perto da cidade paquistanesa de Quetta, na barreira de Chaman. Autoridades do Exército dos Estados Unidos afirmaram que os ataques estão ocorrendo nos locais onde o líder do Taleban vive porque nestes lugares estão também as instalações de controle das operações do Taleban. Em uma entrevista a uma revista saudita, o mulá Omar teria dito que a sua morte não vai por fim à guerra, pois outros poderão ocupar o lugar dele. O líder do Taleban tem pedido para que todos os muçulmanos dêem apoio à luta da milícia contra os Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.