Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

Filho ficou 34 dias junto com o pai doente de coronavírus em hospital na Espanha

Juan Antonio recebeu permissão especial para fazer companhia a Regino, 70, que estava em estado 'muito grave', mas conseguiu se recuperar

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2020 | 04h00

MADRI - Um espanhol recusou deixar seu pai gravemente doente com coronavírus sozinho e passou 34 dias ao seu lado sem sair do quarto do hospital, informou na quarta-feira, 29, um porta-voz da unidade de saúde.

Fazendo o gesto do V de vitória, Juan Antonio e seu pai de 70 anos Regino, saíram no sábado do Hospital Universitário de Henares, em Coslada, perto de Madri, depois de passar mais de um mês juntos no quarto.

Quando o pai foi hospitalizado, "os médicos disseram que estava em um estado muito, muito grave, que não passaria mais de três ou quatro horas com vida", explicou à AFP um porta-voz do hospital.

"Nestes casos, deixamos algum familiar acompanhar para se despedir", continuou.

Mas o pai reagiu bem ao tratamento e começou a melhorar: "Passou a primeira noite, seu filho continuava lá, passou o dia seguinte, seu filho continuava lá", disse o porta-voz.

Então, o filho teve que ficar no quarto por precaução devido à suspeita de ter sido infectado, mas quando finalmente anunciaram que estava saudável e poderia sair, "ele disse que ficaria ali", segundo a fonte.

"Este momento serviu para nos conhecermos muito melhor um ao outro", declarou o filho à rádio Cadena Ser.

O hospital disse que é "uma história bonita", mas também "uma pequena exceção devido às circunstâncias", já que o centro não pode autorizar que "todos digam: 'Eu também quero ficar com meu pai'", esclarece o porta-voz.

"Temos um programa de acompanhamento de familiares, deixamos que passem bem protegidos por 15 minutos todos os dias nos quartos, acompanhados por um psicólogo o tempo todo, deixamos que passem se o paciente estiver mal e vermos que lhe restam poucos dias ou que está piorando", acrescentou.

Com mais de 24 mil mortos, a Espanha é o terceiro país com mais mortes pela pandemia de coronavírus, atrás dos Estados Unidos e Itália.

Mas os curados em apenas um dia aumentaram nesta quarta-feira para 6.399, um recorde desde o início da epidemia neste país que se prepara para suspender gradualmente seu rigoroso confinamento até o final de junho. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.