Filhos de torturadores dizem ser discriminados

Ter parentesco com um ex-integrante da ditadura argentina (1976-83) pode ser motivo para impedimento de promoção na hierarquia militar. A denúncia foi feita por oficiais do Exército e da Marinha que são filhos de militares responsáveis pelo sequestro, tortura e assassinato de civis durante a ditadura. Eles reclamam de "discriminação" por parte do governo. Entre os afetados está o tenente-coronel Justo Daniel Rojas Alcorta, filho do tenente-coronel Justo Jacobo Rojas Alcorta, que participou pessoalmente dos fuzilamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.