Filipinas anuncia morte de chefe insurgente

Pelo menos seis soldados morreram e outros 41 ficaram feridos nos combates entre o Exército filipino e os rebeldes muçulmanos do grupo Abu Sayyaf, que mantêm capturadas cerca de 200 pessoas na localildade de Lamitan, informou hoje um porta-voz militar. A presidente das Filipinas, Gloria Arroyo, anunciou por sua vez que o líder do Abu Sayyaf, Khaddaffy Janjalani, foi morto pelos militares durante os combates na cidade de Tuburán, na mesma ilha filipina. Segundo Arroyo, morreu também o porta-voz do grupo, Abu Sabaya. O coronel Horacio Lapinid afirmou que quatro soldados foram assassinados e outros 12 ficaram feridos no sábado durante um assalto contra um hospital e uma igreja de Lamitan, na ilha de Basilán (sul do país), onde os rebeldes mantêm grande número de pessoas capturadas, entre as quais enfermeiras e funcionários do hospital. Na sexta-feira da semana passada, dois outros soldados haviam morrido durante uma ofensiva do Exército em Tuburán, onde os guerrilheiros seqüestraram - e, aparentemente, continuam mantendo como reféns - 20 turistas estrangeiros. Algumas versões dizem que entre quatro e seis reféns estrangeiros conseguiram fugir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.