Filipinas: exército enfrenta rebeldes do Abu Sayyaf

O Exército filipino voltou hoje a se confrontar com rebeldes extremistas muçulmanos do grupo Abu Sayyaf, em mais uma operação para tentar resgatar o norte-americano Jeffrey Schilling e o filipino Roland Ullah, que, há cinco meses, são mantidos reféns em uma ilha no sul do país. De acordo com o coronel Fredesvindo Covarrubias, chefe do Comando Sul das Forças Armadas, alguns rebeldes foram mortos durante o assalto, que ocorreu na cidade de Talipao, na ilha de Jolo, a cerca de mil quilômetros da capital Manila. ?As forças governamentais estão perseguindo os rebeldes nas montanhas. Esta é uma ofensiva militar contínua para tentar localizar e resgatar os reféns?, explicou o coronel.O norte-americano foi levado em agosto do ano passado e Ullah fazia parte do grupo de 21 pessoas que foram seqüestradas pelos rebeldes em abril de 2000, em um balneário turístico de Sipadan. Com exceção de Ullah, todos os reféns foram libertados entre agosto e setembro, depois que o governo decidiu pagar um resgate de cerca de US$ 17,5 milhões. Entre os seqüestrados estavam turistas alemães, franceses, finlandeses e sul-africanos. Recentemente os rebeldes do grupo Abu Sayyaf iniciaram novas negociações para libertar Schilling, de 24 anos, que estaria doente. Eles pedem US$ 10 milhões em dinheiro em troca pela liberdade do norte-americano. O Abu Sayyaf, que significa ?A Espada de Deus?, é um dos grupos rebeldes mais violentos das Filipinas. Eles lutam por um Estado Islâmico independente na região de Mindanao, no sul do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.