Filipinas: incêndio provocado por fogos de artifício deixa três mortos

Um enorme incêndio que acredita-se ter sido provocado por fogos de artifício destruiu quase mil barracos e matou três pessoas em uma favela na capital filipina. Bombeiros recuperaram o corpo de uma mulher e de dois outros moradores que ficaram presos em suas casas após chuvas ajudarem a apagar o incêndio de seis horas.

Estadão Conteúdo

01 de janeiro de 2015 | 19h22

Outras três pessoas ficaram feridas, incluindo um bombeiro, cujos três dedos foram arrancados por estilhaços metálicos que voaram quando um tanque de gás de cozinha explodiu, informou o corpo de bombeiros.

Ventos fortes espalharam as chamas por quase um quilômetro em uma fileira de barracos na cidade de Quezon, na região metropolitana de Manila antes do amanhecer desta quinta-feira, disse o oficial Noel Carino. Bombeiros lutavam para chegar perto de casas em chamas nas vielas estreitas. "É realmente uma maneira trágica para saudar o novo ano", disse Carino.

Moradores tentaram salvar tudo o que podiam do fogo, incluindo gatos e cães. Muitos usaram boias improvisadas para atravessar um rio turvo e escapar das chamas.

O porta-voz do corpo de bombeiros, Renato Marcial, afirmou que quase mil casas, em sua maioria barracos e cabanas, foram destruídas, desalojando cerca de quatro mil famílias.

Pelo menos 17 incêndios devastaram todo o país, antes e durante a celebração de Ano Novo. Apesar das ameaças de prisão e de uma campanha do governo, foguetes ainda foram usados, de acordo com os bombeiros. Pelo menos sete pessoas morreram em dois dos incêndios, afirmou Marcial. Acredita-se que parte das chamas foram provocadas por fogos de artifício ilegais.

O Departamento de Saúde das Filipinas informou nesta quinta-feira que mais de 350 pessoas ficaram feridas por fogos de artifício e tiros de comemoração nas últimas semanas e na véspera de ano novo. O número é consideravelmente menor do que o do ano passado, mas ainda um sinal alarmante. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.