Filipinas lamenta cancelamento de manobras dos EUA

O Governo das Filipinas lamentou neste sábado a decisão dos Estados Unidos de suspender as manobras militares anuais que ambos os países realizavam desde os atentados terroristas de 11 de setembro de 2001."Respeitamos a decisão do Governo dos EUA de cancelar os exercícios militares com as Filipinas e entendemos sua preocupação pelo assunto da custódia do cabo Daniel Smith", disse o ministro filipino de Informação e porta-voz da Presidência, Ignacio Bunye. "O cancelamento das manobras é um revés a nosso programa militar de modernização, à operabilidade entre Filipinas e EUA e à aliança estratégica de ambas as nações", completou Bunye.Na sexta-feira, a Embaixada dos EUA em Manila explicou que a medida se deve, fundamentalmente, à negativa da Justiça filipina a entregar a custódia de Smith, condenado no último dia 4 à prisão perpétua por estuprar uma filipina em 1 de novembro de 2005. Os EUA alegam que o Acordo de Forças Visitantes (VFA, em inglês) assinado com as Filipinas estipula que todo militar americano que cometer um delito em solo filipino permanecerá sob a custódia de seu país até o fim do processo legal. Na quinta, um recurso apresentado neste sentido foi negado no Tribunal de Apelações das Filipinas.Bunye assegurou que o Governo mantém o compromisso com o VFA e está tomando todas as medidas para que a custódia de Smith seja transferida aos EUA através do sistema judiciário filipino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.