Filipinas: número de mortos por tufão chega a 2.275

O governo das Filipinas aumentou para 2.275 o número de mortes causadas pelo tufão Haiyan - o mais poderoso a atingir a região em décadas -, ultrapassando a estimativa do presidente Benigno Aquino III.

AE, Agência Estado

13 de novembro de 2013 | 07h26

O presidente disse nesta terça-feira, 12, que esperava cerca de duas mil mortes na tragédia - número que, ele admitiu, poderia chegar a 2,5 mil com a chegada de informações das 29 cidades que ainda não haviam se reportado.

Na manhã da quarta-feira, 13, o Conselho Nacional de Redução e Gerenciamento do Risco de Desastres divulgou parecer em que calculou 1.833 mortes causadas pelo tufão - o que já colocaria o Hayian na lista dos cinco desastres naturais mais mortais da história das Filipinas.

Cerca de 7 milhões de pessoas foram afetadas em 41 províncias, afirma o órgão de prevenção de desastres. No total, 149.756 casas foram danificadas, a maioria delas foi totalmente destruída. O número de pessoas removidas chega a 582.303. Oito continuam desaparecidos.

O dano à infraestrutura é calculado em US$ 4,6 milhões e as perdas na agricultura já somam US$ 155 milhões. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
FilipinasTufãoAtualiza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.