Filipinas pede prisão preventiva de Imelda Marcos

Uma corte das Filipinas decretou hoje a prisão preventiva de Imelda Marcos, ex-primeira dama do país, por quatro acusações de corrupção. A corte disse que a viúva do ditador Ferdinand Marcos e poderia ser liberada se pagasse fiança de 120 mil pesos filipinos, equivalente a US$ 2.400. Ela pagou a fiança e está em liberdade. Imelda Marcos é acusada de enriquecer ilicitamente durante o período que seu marido foi ditador das Filipinas. As acusações fazem parte de uma investigação maior para determinar o envolvimento de Imelda na destruição da economia filipina entre 1968 e 1986, quando Ferdinand governou o país. Os investigadores procuram recuperar bilhões de dólares que Imelda ainda pode ter depois de ter "saqueado" o país, como dizem os inimigos da ex-primeira dama. Imelda é conhecida mundialmente por sua coleção de 1.200 pares de sapatos que foram descobertos depois que ela e seu marido fugiram do palácio presidencial depois de terem sido depostos por uma revolta popular em 1986. Ferdinand Marcos morreu em 1989, no Havaí.

Agencia Estado,

16 Outubro 2001 | 02h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.